Echinodorus Uruguayensis

A Echinodorus Uruguayensis, assim com as outras plantas de sua família, não são plantas que apresentam uma grande complexidade no que diz respeito aos seus cuidados, podendo até mesmo serem consideradas plantas Low Tech, ou seja, aquelas plantas que não requerem necessariamente um substrato fértil, uma iluminação de grande intensidade e a adição intensa de Co2. Mas vale sempre lembrar que quando plantadas em um substrato fértil, elas se desenvolvem muito mais rápido e com uma facilidade ainda maior.

A Echinodorus Uruguayensis, é uma planta totalmente recomendada para aquaristas que desejam adquirir uma experiência maior, pois mesmo sendo uma planta de manutenção fácil, ela irá requerer cuidados que o aquarista irá treinar e se aperfeiçoar. Sem falar que é uma ótima chance de começar a aperfeiçoar as abilidades em dosagem de fertilização líquida, especialmente quando o aquário onde essas plantas estiverem plantadas não conter um substrato fértil.

Essa é uma planta que irá se adaptar muito rapidamente ao meio submerso, e quando estiverem 100% adaptadas, elas apresentarão folhar compridas e com uma tonalidade de um verde claro lindo. E aliado a essas duas características, essa planta cumpre muito bem o papel de planta destaque na área de transição de seu layout, principalmente quando plantadas próxima a rochas e troncos de forma individual.

Segue a ficha técnica da Echinodorus Uruguayensis:

Família: Alismataceae;

Origem: América do Sul;

Hábito: Submersa Emergente;

Tamanho: de 25 a 50 cm de altura;

Temperatura da Água: de 18 a 28 ºC;

Iluminação: Moderada a intensa;

pH: de 6,0 a 8,0;

Manutenção: Fácil;

Crescimento: Média;

Propagação: Se reproduz através de hastes que contenham mudas e raies mas também pode ocorrer brotação em seu rizoma;

Plantio: São plantas para serem plantadas na parte da mediana ou fundos do aquário, servindo tanto como planta de destaque devido ao seu tamanho como plantas de transição, sendo responsável em suavizar as diferenças entre plantas carpetes e plantas de fundo. Em alguns casos, quando o aquário é pequeno, essas plantas não cairão bem neles, tendo em vista o tamanho que elas atingem. Devem ser plantadas preferencialmente individuais, onde seu comportamento e característica será muito melhores aproveitados, e assim como todas as plantas de rosetas, basta enterrar as raízes em um substrato, preferencialmente fértil, deixando as folhas totalmente livres.

Deixe aqui seu email para receber novidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *