Água Viva Sea Nettle

Essas águas vivas, conhecidas com seu nome em inglês de Sea Nettle, que em uma tradução livre quer dizer urtiga do mar, ou urtiga marinha, é encontrada em toda a costa do Oceano Pacifico, que vai do Canada até a costa do México.

Normalmente elas são encontradas em águas rasas nos meses de outono e inverno, e sempre em recifes de corais ou próximo a eles, flutiando livremente, em alguns casos podendo chegar até a costa. Mas nos meses de primavera e verão, essas águas vivas costumam formar grandes enxames em águas profundas.

Já são reproduzida em cativeiro, e tem uma expectativa de vida de até 6 meses quando na natureza, podendo atingir uma curvatura de 30 centímetros e ter tentáculos que podem passar de 1 metro de comprimento.

Ao contrário do que sua aparência pacifica nos mostra, essas águas vivas são predadoras vorazes e carnívoras, podendo comer outras águas vivas, inclusive de mesma espécie, larvas e ovos de peixes e zooplanctons, tudo isso com a ajuda de seus poderosos tentáculos, que possuem uma substância paralisante, que no homem causa irritação na pele, por isso de seu nome Urtiga marinha.

Embora a Sea Nettle seja um animal muito exótico para ser criado em um aquário isso é possível, mas é importante  tomar  alguns cuidados para poder aumentar a vida útil do animal e deixá-los ainda mais  vistosos e  coloridos, segue a ficha técnica da Sea Nettle:

Nome Popular:
São conhecidos com o nome de Sea Nettle.

Nome Científico:
Foi batizado de Chrysaora fuscescens

Origem:
São animais nativos e encontrados nas águas de praias costeiras, tanto em regiões tropicais como subtropicais dos oceanos Pacífico, Indico e Atlântico.

Temperatura:
Para manter a qualidade do habitat ideal para esses animais, a água deve estar entre 12°C e 23°C,  mas de preferência manter em 14°C.

Água:
O  pH da água deve ficar entre 8.2 a 8.4

Alimentação:
A Sea Nettle tem uma alimentação carnívora, e ao contrário do que a maioria pensa, elas são muito agressivas, o que é o oposto do que sua aparência nos mostra. Elas podem comer outras águas vivas, inclusive de mesma espécie, larvas e ovos de peixes e zooplanctons entre outros.

Deixe aqui seu email para receber novidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *