Tudo o que você precisa saber sobre o Barbo Conchonio Cereja

Barbo Conchonio Cereja

O Barbo Conchonio Cereja são peixe muito ativos e pacíficos, mas para eles terem seu comportamento sempre o mais próximo do normal possível, devem ser criados sempre em cardumes de no mínimo 5 indivíduos. Quando os peixes estão em seu comportamento normal, eles podem até mesmo vir a “disputar” espaços ou a atenção de fêmeas, e essas demonstrações são sempre magníficas, onde o macho demonstra toda a sua beleza.

Tendo em vista essa característica, o Barbo Conchonio Cereja é um ótimo exemplar para aquários plantados ou temáticos, mas sempre tomando cuidado para o aquário ter tampa, pois esses peixes tem uma grande tendência de pularem para fora do aquário.

Embora o Barbo Conchonio Cereja  seja muito fácil de ser criado em um aquário, e importante  tomar alguns cuidados para poder aumentar a vida útil do peixe e deixá-lo ainda mais  vistoso e  colorido, segue a ficha técnica do Barbo Conchonio Cereja:

Nome Popular:
São conhecidos com o nome de Barbo Conchonio Cereja

Nome Científico:
Foi batizado de Puntius Conchonius

Origem:
São peixes encontrados na Ásia, China e Vietnã.

Temperatura:
Para manter a qualidade do habitat ideal para o Barbo Conchonio Cereja, a água deve estar entre 24°C e 28°C,  mas de preferência manter em 26°C.

Água:
O  pH da água deve ficar entre 6.4 a 7.4.

Alimentação:

Os Barbo Conchonio Cereja tem uma alimentação Onívora, e aceitam muito bem qualquer tipo de comido, podendo ser ela rações industrializadas como, rações em flocos a base vegetal ou de proteína animal, mas também aceita muito bem alimentos vivos,que devem ser dados com uma frequência de 1 vez por semana para fazer com que os peixes sejam incentivados a reprodução e mantenham a saúde e cores vívidas.

Tudo o que você precisa saber sobre o Barbo Conchonio Cereja

Deixe aqui seu email para receber novidades.

2 ideias sobre “Barbo Conchonio Cereja”

  1. É possível obter a reprodução desses peixes com muita facilidade. O macho tem um tom de cor mais avermelhado. As fêmeas são mais amareladas. Basta separar um ou dois casais em um aquário plantado, preferencialmente com uma planta chamada “rabo de raposa”. Depois de dois dias, ao perceber que os peixes copularam, retire as matrizes e aguarde os ovos eclodirem. Os alevinos nas primeiras horas, depois de nascidos, ficam encostados nos vidros do aquário com a cabeça voltada para cima e a cauda para baixo. O difícil será alimentar os alevinos, por serem muito pequenos. Para isso sirva a eles paramécios para conseguir boa taxa de sobrevivência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *