Para que serve um Sump – Parte 1

O Sump, que nada mais é do que um sistema completo para manutenção de aquário, é utilizado por diversos aquaristas mas que muitas vezes não sabem sua origem nem suas reais funções dentro do aquarismo, seja ele marinho ou não. Então nesse post iremos solucionar esse mistério e elucidar para que serve um sump.

Lá na década de 80, os aquários eram nada mais nada menos do que a caixa de vidro onde existia um filtro biológico de fundo, e o aquecedor e outros equipamentos eram colocados dentro do próprio aquário. A reposição de água também era feita de forma manual, sempre que notávamos a diferencia do nível de água em nossos aquários, sem muita precisão, o que acabava acarretando em diversos problemas e por consequência muito mais trabalho para o aquarista.

Com o passar do tempo, surgiu o filtro Dry-wet, que veio para substituir os FBF (filtros biológicos de fundo, onde se perdia parte do aquário para dar espaço a elementos filtrantes, foi então que o famoso sexto vidro do aquário surgiu. O que deu inicio também a um primeiro pseudo sump, onde a água do aquário transbordava através do sexto vidro e passava pelos elementos filtrantes sendo retornado para o aquário através de uma bomba de recalque que ficava no fundo.

dry-wet

Mas esse processo ainda tinham alguns problemas, e o mais grave deles era que não resolveu o sistema de reposição de água no aquário, que ainda era feita manualmente e sempre que o aquarista percebia um certo desnível causado pela evaporação. E esse pequeno problema ficou ainda maior com o uso do Dry-wet, como a água entrava no sistema através de transbordamento, quando o nível descia muito, essa água simplesmente parava de transbordar e a bomba de recalque trabalhava a seco chegando em muitos casos a queimar.

Foi ai que alguém resolveu colocar o dry-wet em uma caixa em baixo do aquário, e a magia começou a aparecer. Foi ai que ganhamos novamente o espaço dentro do aquário, e todos os equipamentos foram transferidos para baixo do aquário, sendo criados móveis que escondiam toda a bagunça. Também se conseguiu mais espaço em baixo para colocar tudo o que se precisava por, e foi ai que surgiu também a boia de nível que deixou a reposição de água que é perdida por evaporação, automatizada, o que acabava com diversos problemas. E assim surgia o sump como o conhecemos hoje em dia.

No próximo post iremos falar sobre algumas características importante que um sump deve conter para o máximo de seu aproveitamento.

sump

Deixe aqui seu email para receber novidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *